Portal do Governo Brasileiro

DRAGAGEM DO PORTO DE SANTOS
ECONOMIA, SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

DRAGAGEM DO PORTO DE SANTOS


PORTO DE SANTOS, O "PORTO DO BRASIL"

O Porto de Santos, principal e maior complexo portuário do Brasil, é também uma das principais ferramentas para viabilização das trocas comerciais brasileiras, com destaque para as exportações de açúcar, soja e milho, além das cargas conteinerizadas. Ciente da sua importância no cenário econômico do país, o "Porto do Brasil" investe continuamente no seu desenvolvimento. Diante da ininterrupta ação de processos deposicionais no canal do estuário de Santos, a preservação das profundidades do canal de navegação, berços de atracação e de seus acessos está condicionada à execução da dragagem de manutenção, que consiste basicamente na retirada do material de assoreamento depositado sobre as cotas de projeto. Obras como esta são imprescindíveis e devem ser executadas de forma constante, pois garantem a segurança na navegação e a viabilidade operacional do cais santista.

LOCALIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

As obras de dragagem de manutenção são executadas no canal de navegação, berços e acessos do Porto de Santos. O canal é a via marítima que conduz as embarcações até os acessos dos locais de atracação, chamados berços. O canal possui uma extensão linear de aproximadamente22 quilômetros, divididos em 4trechos, se estendendo desde a Barra até a região da Alemoa. O cais do Porto Organizado de Santos conta com 66 berços de atracação, sendo que 59 possuem capacidade operacional. Esses elementos da infra-estruturar aquaviária (canal, berço e acesso) sofrem processos deposicionais naturais e necessitam de dragagens periódicas para manter as cotas de projeto (profundidades).

OBJETIVOS

A dragagem de manutenção visa à retirada de material sedimentar depositado sobre os berços, acessos e canal de navegação, com a finalidade de manter as profundidades, permitir o tráfego seguro de embarcações e, consequentemente, manter a competitividade do Porto de Santos no cenário mundial.

POLÍGONO DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA

Os sedimentos dragados são lançados no Polígono de Disposição Oceânica (PDO), área que está sob a responsabilidade e gerenciamento da Autoridade Portuária, que compatibiliza e fiscaliza seu uso pelos diversos empreendedores. Toda draga ou batelão deve dispor de Sistema de Rastreamento Satelital para realizar descartes no local. O PDO consiste em uma área retangular, distante cerca de 10 km da costa, que possui 40 km² de área total, dividida em 10quadrículas de 2 km de lado, com profundidades que variam entre 20 e 25 metros. As condições oceanográficas no local. Foram analisadas previamente e são favoráveis à dispersão natural dos sedimentos descartados, evitando que retornem para a região costeira. Os parâmetros físicos, químicos e biológicos da área de descarte e adjacências são monitorados de forma rigorosa, com o objetivo de detectar possíveis efeitos sobre a biota aquática ou sobre os processos ecológicos. Este monitoramento visa subsidiar a tomada de decisões seguras quanto à gestão da disposição dos sedimentos dragados, de modo a identificar a necessidade de eventuais interrupções ou alterações no processo e outras medidas mitigadoras.