Portal do Governo Brasileiro

DRAGAGEM DO PORTO DE SANTOS
ECONOMIA, SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

COMUNIDADES::

Representantes de comunidades de pesca conhecem detalhes da derrocagem

As informações foram apresentadas durante reunião do Conselho Gestor

Os detalhes sobre a derrocagem (desmonte) das rochas Teffé e Itapema foram apresentados aos representantes das comunidades de pesca que participaram da 6ª reunião extraoficial do Conselho Gestor Consultivo do Estuário de Santos. O encontro realizado no dia 31 de agosto, no auditório do Instituto de Pesca, integra o trabalho desenvolvido pelo Programa de Apoio às Comunidades de Pesca do Monitoramento Ambiental da dragagem de aprofundamento do Canal de Acesso ao Porto de Santos.

Os participantes foram informados sobre os cuidados ambientais que serão adotados para a preservação da fauna com a atuação de equipes para o avistamento de mamíferos (botos, golfinhos) e tartarugas e recolhimento de peixes que boiarem após cada detonação. E receberam explicações sobre o fechamento do canal para navegação, por um período de três horas, na área do desmonte.

O consultor Sérgio Tutui aproveitou para relatar as ações desenvolvidas pelo Programa de Apoio às Comunidades de Pesca incluindo o monitoramento da captura pesqueira, monitoramento das comunidades demersal e pelágica, estudo aprofundado das espécies siri, parati, camarão branco e mexilhão e cursos de capacitação.

As conclusões obtidas em outros dois Programas desenvolvidos na obra de dragagem de aprofundamento também foram informadas pelo consultor Carlos Eduardo Neves Consulim. A análise química nos tecidos do peixe parati (Mugil curema) e o siri-azul (Callinectes danae), de janeiro de 2010 a abril de 2011, concluiu que a maioria dos parâmetros analisados (concentração de cobre, manganês, mercúrio, zinco e arsênico) ficou abaixo dos limites estabelecidos pela legislação para consumo humano.

No Programa que monitora a área de disposição oceânica do material dragado, ainda não finalizado, a maior parte dos parâmetros avaliados também se encontra abaixo dos limites de quantificação.

No encerramento da reunião, a gerente de controle ambiental da Companhia Docas do Estado de São Paulo, Márcia Jovito informou que solicitou ao Ibama a manutenção do Conselho Gestor Consultivo para facilitar o diálogo com as comunidades de pesca. O presidente da Federação dos Pescadores do Estado de São Paulo, Tsuneo Okida, afirmou que essa iniciativa beneficiará muito a categoria.

Texto produzido em: 1/09/2011

Publicado por: DA REPORTAGEM