Portal do Governo Brasileiro

DRAGAGEM DO PORTO DE SANTOS
ECONOMIA, SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

DERROCAGEM::

CODESP disponibiliza 0800 para dúvidas sobre a derrocagem da Itapema

A ligação é gratuita

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP) está disponibilizando o telefone 0800 777.8560 para o esclarecimento da população sobre a derrocagem da pedra de Itapema. Os interessados podem gravar suas dúvidas, logo após deixar o nome e um número de telefone para receber a resposta no prazo máximo de 72 horas. A ligação é gratuita.

Além do acesso por telefone, a comunidade também está sendo informada do andamento do empreendimento por meio de informativo, faixas e folhetos. A outra forma de acompanhar a obra é por intermédio do site: www.dragagemdoportodesantos.com.br, que disponibiliza um espaço especial à derrocagem, mostrando todo o processo, além de informar o horário em que a navegação de embarcações ficará paralisada (período de três horas), próximo à área de trabalho da rocha.

No caso específico da pedra de Itapema, a equipe técnica da Ster Engenharia, empresa responsável pela derrocagem, decidiu que a travessia dos usuários da balsa da Dersa e das catraias só ficará interrompida por um período de uma hora. Os horários serão divulgados nas estações e no site www.dragagemdoportodesantos.com.br.

Proteção ambiental

O empreendimento, iniciado pela pedra de Teffé, conta um plano de proteção à fauna existente no canal do Estuário. Para isso, será utilizada uma carga suspensa de pequena intensidade antes das detonações. Uma cortina de bolhas ao redor de toda a área de trabalho também será acionada. O objetivo é reduzir o impacto da pressão hidrodinâmica da detonação, ou seja, controlar a onda de choque gerada.

Durante todo o período da execução da derrocagem, equipes de diferentes áreas estarão atuando, simultaneamente, visando o monitoramento ambiental e a divulgação das atividades. Uma delas, formada por biólogos, verificará a presença de espécies de mamíferos aquáticos, como botos e golfinhos, e de tartarugas na área de trabalho da embarcação. No caso de algum avistamento o processo será paralisado. Outra acompanhará a intensidade das detonações para evitar danos às edificações próximas às pedras.

Para informar quem estiver nas imediações das pedras, cinco minutos antes de cada detonação, que acontece uma vez por dia, serão acionados seis sinais sonoros longos de 10 segundos cada. Um minuto antes mais um sinal de 10 segundos seguido por no máximo 10 sinais de três segundos cada. Após a detonação e a inspeção da área, um novo sinal longo acima de 10 segundo será acionado para a liberação do canal de navegação.
O empreendimento é da Secretaria de Portos (SEP) e integra o projeto de aprofundamento do canal de navegação para 15 metros e seu alargamento para 220 metros, que conta com aporte do Governo Federal. Com isso, o Porto poderá receber navios com maior calado aumentando em até 30% a sua capacidade de movimentação.

Texto produzido em: 9/11/2011

Publicado por: DA REPORTAGEM